Connect with us

Business

Brasil lidera 72% do e-commerce transfronteiriço entre América Latina e Europa, revela relatório da Nuvei

Published

on

• Estudo da Nuvei aponta o potencial das conexões entre a Europa e América Latina para alavancar o e-commerce entre as regiões
• Participação de europeus no e-commerce transfronteiriço na América Latina deve representar US$ 1 bilhão em 2023, com potencial de crescimento de 20% ao ano
• O mercado de luxo, de marcas exclusivas, tem potencial para crescer e alcançar mais 46 milhões consumidores latino-americanos

As compras do e-commerce latino-americano com empresas europeias devem atingir 1 bilhão de dólares em 2023 e o Brasil é responsável por 72% desses gastos: é o que mostra o estudo Insights e oportunidades para o sucesso da expansão regional – Interconectando Europa e América Latina lançado pela Nuvei, provedora global de soluções para meios de pagamento. O estudo aponta o potencial das conexões entre a Europa e América Latina para alavancar o e-commerce entre as regiões. “As empresas estão interessadas nas tendências de pagamento de comércio eletrônico e nos mercados importantes, em rápida evolução. Analisamos o comércio eletrônico transfronteiriço europeu na América Latina pelo seu potencial agressivo de crescimento que deve chegar a 20% ao ano”, comenta Rafael Lavezzo, vice-presidente sênior Comercial da Nuvei para a América Latina.

Esse novo capítulo dos relatórios da Nuvei aponta os fortes laços culturais, linguísticos e econômicos entre a Europa e a América Latina, detalha o comportamento do e-commerce nos principais mercado latino-americanos e aponta as oportunidades para empresas europeias que desejam expandir seus negócios por meio do e-commerce na região. Esse estudo é o segundo de uma série de relatórios que exploram oportunidades de crescimento em diferentes regiões. O primeiro foi o “Insights e Oportunidades para Expansão Regional de Sucesso – Interconectando Ásia-Pacífico e América Latina”, que trouxe uma análise sobre a atuação de empresas asiáticas no comércio eletrônico da América Latina. Ambas as pesquisas foram encomendadas à Americas Market Intelligence (AMI).

De acordo com o estudo, a sinergia entre as regiões traz grandes oportunidades de crescimento para empresas europeias em segmentos como manufatura, telecomunicações, energia, varejo, finanças e comércio eletrônico. A estimativa é de que a participação de europeus no comércio cross-border na América Latina seja de cerca de US$ 1 bilhão, em 2023, o equivalente a 2%.

“A rápida transformação digital no mercado de meios de pagamentos, a alta taxa de aceitação do Pix e o avanço do uso dos smartphones têm contribuído para o avanço do e-commerce da Europa com a América Latina, da mesma maneira que constatamos no primeiro estudo sobre as empresas asiáticas. Com a diferença que os europeus têm a oportunidade de explorar um mercado de consumidores de alta renda que buscam produtos aspiracionais e exclusivos”, comenta Lavezzo.

O estudo indica que o comércio eletrônico transfronteiriço europeu deve crescer agressivamente em 20% ao ano, dos quais 72% são de brasileiros e 20% são gastos transfronteiriços mexicanos com comerciantes europeus. Esse número não inclui o volume produzido por empresas europeias que já investiam diretamente na região e entidades locais estabelecidas, como grandes varejistas como Carrefour, Inditex, IKEA e outros.

O relatório aponta que, na América Latina, é fundamental que os comerciantes incorporem métodos de pagamento locais para capturar o volume internacional. No Brasil, hoje o segmento cross-border representa 6% do e-commerce total. A princípio, pode parecer pouco expressivo, mas é um mercado latente, com potencial de crescimento. Para tanto, uma ampla gama de meios de pagamentos é necessária (cartão de crédito, PIX, etc). Já no México, a participação no comércio cross-border representa um quarto do volume, o que faz do País um mercado alvo para ser desbravado, seguido pelo Chile, devido ao seu PIB per capita.

Oportunidade no mercado de luxo
O segmento de luxo na América Latina oferece um enorme potencial de lucro para empresas europeias. De acordo com o estudo, 1% da população, cerca de 5 milhões de pessoas, busca produtos diferenciados e de luxo e 10% dos latino-americanos, 46 milhões de pessoas, que compõem a população mais rica, é o público-alvo de produtos exclusivos.

No Brasil, o e-commerce é liderado pelo varejo, que representa 44% do total de gastos, e as categorias de varejo online com melhor desempenho são vestuário, acessórios, beleza e perfumaria, produtos de saúde e bem-estar e eletrodomésticos. As empresas no Brasil estão reinventando a experiência do varejo online por meio da incorporação de novas tecnologias e novos canais. Durante a pandemia e os lockdowns, as marcas de luxo europeias tiveram que adaptar seus negócios, melhorando suas plataformas de e-commerce. Com essas inovações, os produtos de luxo europeus se tornaram ainda mais acessíveis.

Brasil: potência digital em pagamentos
Com o incentivo feito pelo governo brasileiro ao banco digital, os produtos financeiros tornaram-se mais acessíveis, aliados ao boom da adoção do PIX, sistema de transferência interoperável em tempo real, que revolucionou a maneira de fazer pagamentos, com 131 milhões de usuários (80% da população adulta e 24,1 bilhões de transações em 2022 (dados BACEN). Em 2023, o PIX deverá representar 28% do e-commerce total, constituindo 40% a 50% das vendas para alguns lojistas no Brasil.

“Hoje, o Brasil é uma potência digital em pagamentos, com 96% dos adultos tendo um relacionamento com uma instituição financeira ou fintech. O mercado de e-commerce brasileiro atingirá US$ 263 bilhões em 2023, com um CAGR (Compound Annual Growth Rate) de 26% de 2019 a 2023: esses dados mostram que o Brasil é um dos 10 principais mercados para empresas que buscam a expansão internacional”, afirma Lavezzo.

Desafios do e-commerce na América Latina
Para as empresas estrangeiras atuarem na América Latina, sobretudo no Brasil, é necessário contar com parceiros de pagamentos que têm tecnologias necessárias para ajudar nos desafios comuns na região como: taxas elevadas de fraude, dificuldades relacionadas a assinaturas, abandono de carrinho de compras, taxas relacionadas a transações internacionais e câmbio, falta de acesso a crédito e assim por diante.

“No caso da Nuvei, nosso diferencial está no fato de oferecer um modelo de merchant of records, que permite aos comerciantes o aceite de pagamentos localmente, sem estarem fisicamente presentes no país; ferramentas antifraude e de gerenciamento de riscos; além da nossa capacidade de resposta e checkout em dispositivos móveis, o que permite uma experiência de usuário positiva em qualquer dispositivo”

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Business

Após o carnaval, 8 a cada 10 brasileiros continuam endividados

Published

on

By

60% possuem débitos com cartão de crédito em aberto e 43% buscam negociações com banco

O começo do ano é geralmente um período utilizado por muitos brasileiros para se reorganizar financeiramente, pelo menos é o que 12 milhões de brasileiros já fizeram no primeiro bimestre. Ao todo 17 milhões de dívidas foram “desnegativadas”, quitadas ou equacionadas e o total renegociado chega a R$ 35,6 bilhões, segundo dados obtidos através do programa Desenrola Brasil.

Mas para 44% dos brasileiros o ano começa depois do carnaval e os altos índices de endividados continuam em fevereiro. Segundo dados do Raio-X dos Brasileiros em Situação de Inadimplência, 8 em cada 10 brasileiros encerraram o ano de 2023 com dívidas e destes um terço continuam com contas atrasadas. Débitos com bancos (64%) e cartão de crédito (60%) são as fontes dos débitos em aberto, segundo base de dados do Instituto Locomotiva e da Serasa.

Em janeiro, 76% dos brasileiros procuraram alguma forma de crédito, sendo o serviço de cartão o mais buscado. Em relação à finalidade do crédito solicitado em empréstimos pessoais, 41% afirmou ser para investimentos, 21% para pagar contas básicas e 26% para pagar dívidas de contas básicas.

Segundo Fernando Lamounier, educador financeiro e sócio diretor da Multimarcas Consórcios, o cartão de crédito continua sendo um dos grandes dificultadores porque é visto como um valor adicional ao orçamento mensal. “Os brasileiros vêm utilizando a modalidade para compras do dia a dia e a capacidade de parcelamento levou-os a acreditar que ao dividir uma compra a dívida fica menor, quando na realidade, as pessoas estão apenas  antecipando as dívidas do próximo mês”, explica.

Em sequência, aparece o setor de água e luz (11,33%), comércio (11,20%) e outros com 7,16%. Sudeste, Nordeste e Norte lideram o ranking das regiões com mais débitos é o que mostra os dados apresentados pela  CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). Muitas famílias ainda são reféns da utilização de créditos para complementar o orçamento mensal e a utilização de diferentes solicitações podem levar a refinanciamentos.

“Para os brasileiros, a instabilidade econômica do país é o agente dificultador de um padrão de vida financeira saudável para o cidadão comum. A alta inadimplência deve-se à situação dos salários baixos e desemprego elevado”, explica o especialista.

A previsão é que para o mês de março aumente o número de brasileiros buscando negociações e acordos para sair da lista de inadimplência. Segundo a Serasa, todos os meses mais de 26 milhões de pessoas acessam o site e o aplicativo. A instituição afirma que com a nova parceria com o programa Desenrola do Governo Federal, o número deve aumentar e mais facilidades devem ser ofertadas.

Pensando nisso, o especialista separou 3 dicas para auxiliar quem está no vermelho:

Faça um levantamento dos gastos, anotando todas as futuras despesas. Análise as áreas em que é possível economizar, buscando alternativas mais econômicas e eficientes.

Utilize a regra 50, 30 e 20 para organização das finanças e priorize as despesas mais importantes, evitando o endividamento. A regra financeira é simples e divide o orçamento em três partes: 50% para gastos fixos e essenciais; 30% para gastos variáveis e que podem ser reduzidos se necessário; e 20% para investimentos ou criação de um fundo de reserva.

Evite dívidas desnecessárias para manter seu orçamento saudável é extremamente importante avaliar com atenção suas necessidades antes de efetuar compras parceladas ou solicitar empréstimos. Portanto, ao planejar suas finanças, lembre-se de considerar cuidadosamente se a compra é realmente necessária para atender às suas necessidades imediatas e se você terá capacidade de pagar as parcelas mensais ou as prestações dentro do prazo estabelecido.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Business

Brasil tem 4 em cada 10 Edtechs mais promissoras da América Latina, segundo HolonIQ

Published

on

O reconhecimento selecionou 100 empresas na região e analisa o desenvolvimento e implementação de tecnologias educacionais

Dados da premiação “The Latin America EdTech 100”, promovida pela HolonIQ, revelaram que, das cem EdTechs mais promissoras da região, reconhecidas em 2023, 42% são do Brasil – uma tendência que é observada desde 2020. O ranking foi seguiu com México, Argentina e Colômbia. Veja os dados completos no gráfico a seguir:

Uma das EdTechs destacadas pela premiação foi a Layers, uma startup de São Caetano do Sul que conquistou um espaço pela terceira vez consecutiva, desta vez na categoria “Management Systems” ao lado de empresas brasileiras como educbank, Scaleup, Arvore, Motrix, Alura, Gomining, entre outras.

“No Brasil, as EdTechs são catalisadoras da transformação digital da educação. Juntas, podem proporcionar soluções abrangentes para as principais dores do setor educacional, como iniciativas personalizadas e adaptáveis, permitindo que as instituições escolham o que melhor se encaixa em sua realidade, promovendo a inovação e a eficácia. Por meio de parcerias e colaborações, essas empresas têm contribuído para a expansão do acesso à educação de qualidade no país, promovendo a inclusão e aprimorando a eficácia do processo de ensino-aprendizagem”, avalia o CEO da Layers, Danilo Yoneshige.

Ainda de acordo com o levantamento da HolonIQ, 30% das edtechs premiadas, considerando toda a América Latina, foram fundadas em até 3 anos, o que indica o imprescindível apoio ao “early stage” na região. Em relação às soluções desenvolvidas para os segmentos de Ensino Fundamental (K12), Superior e Profissional (Workforce), é o Brasil e o México que lideram por meio de startups mais maduras.

A HolonIQ é uma empresa que atua no campo da educação, focada em impulsionar a transformação educacional global por meio de inovações e soluções tecnológicas avançadas. Seu trabalho abrange o desenvolvimento e implementação de tecnologias educacionais, a análise de dados e tendências no setor, além de oferecer insights estratégicos para instituições de ensino, governos e empresas. A HolonIQ busca melhorar a acessibilidade, personalização e eficácia do aprendizado, contribuindo para moldar o futuro da educação em escala global.

“Ao longo dos 5 anos de existência, a Layers tem o propósito de transformar a tecnologia na maior aliada do aprendizado, para que possamos construir uma educação mais inclusiva e personalizada. Entender que esse objetivo está ganhando repercussão internacional é uma satisfação enorme e nos mostra que estamos no caminho certo e vamos continuar”, declara Yoneshige.

A Layers é a startup responsável por criar o único SuperApp da Educação capaz de unificar todas as ferramentas de gestão da escola em um só ambiente online, com integração profunda a outros sistemas de gestão, e acesso a ferramentas de comunicação, atendimentos e agenda. Com sua capacidade de integração, oferece a oportunidade de outras edtechs unificarem suas soluções e acessarem o mercado educacional, reforçando o verdadeiro significado de “all-in-one”. Já são 1900 instituições de ensino atendidas, 22 redes e mais de 750 mil alunos

Critério da premiação

De acordo com a HolonIQ, o objetivo da premiação é identificar as mais promissoras startups em cada grande região do mundo. Para serem elegíveis, as startups devem ter menos de 10 anos, ter sede na região em questão ou estar predominantemente focadas no mercado competente (por exemplo, > 80% de receita/clientes de educação). Elas também devem ser consideradas “startups” (ou seja, não terem sido adquiridas, serem subsidiárias ou listadas) e não serem controladas por um grupo de investidores (por exemplo, através de aquisição por private equity ou investimento controlador).

A HolonIQ Education Intelligence Unit e especialistas de mercado selecionados avaliam cada organização com base na metodologia de pontuação de startups da HolonIQ, que em resumo abrange as seguintes dimensões:

  • Mercado: A qualidade e atratividade relativa da categoria de mercado específica na qual a empresa atua;
  • Produto: A qualidade, singularidade e impacto do produto em si;
  • Equipe: A expertise e diversidade da equipe de liderança;
  • Capital: A saúde financeira da empresa e sua capacidade de gerar ou garantir financiamento suficiente;
  • Momentum: Mudanças positivas no tamanho, velocidade e impacto da empresa ao longo do tempo.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Business

COMEMORAÇÃO DE 40 ANOS DA ABRAJET-SP INCLUI VISITA TÉCNICA Á FESTA DA UVA EM JUNDIAÍ

Published

on

A ABRAJET-SP – Associação Brasileira de Jornalistas de Turismo Seccional São Paulo está comemorando 40 anos. Diversas ações foram preparadas para a comemoração, entre elas, algumas visitas técnicas. A Festa da Uva foi uma das escolhas. Confira conosco a tradição desta festa que é sucesso absoluto de público e da história da UVA com rainha e princesas.
Uva em Jundiaí (SP) tem registro de Indicação Geográfica
Ação intensifica o fluxo turístico na região, gerando emprego e renda
Recentemente, em Jundiaí (SP), a uva Niágara Rosada passou por um processo de estudo para que pudesse ser registrada como Indicação Geográfica. Isso é resultado de uma qualificação diferenciada da fruta tem qualidade, com características de aroma, coloração, sabor e quantidade de açúcar, que são diferentes das espécies produzidas em outras regiões.
Marcela Moro, coordenadora da Festa da Uva de Jundiaí que chega a sua 90ª edição em 2024, explica que como este tipo de uva nasceu em Jundiaí, já é divulgada com tipo de indicação geográfica que é a IP, ou seja, indicação de procedência.
Ela explica que a uva surgiu por conta de um fenômeno nos parreirais de Jundiaí. “Isso foi no bairro do Traviú, em 1933. No ano seguinte foi realizada a primeira Festa da Uva de Jundiaí”.
Foram quase dez anos de muito trabalho para obter essa marca de indicação geográfica da Uva Niágara de Jundiahy. A escrita Jundiahy remete a uma característica histórica do período em que a Niágara surgiu, em 1933. Nessa época, faziam parte da área de Jundiaí os municípios de Louveira, Itapeva, Vinhedo e Jarinu. “São essas cidades que estão na indicação. E isso traz muita gente de fora para comprar o produto específico daquela região. É uma ação que intensifica o fluxo turístico que, em 10 anos, subiu mais de 1% por conta da indicação dos vinhos”, conta Marcela.

Histórico
A indicação é uma forma histórica que acontece no mundo inteiro, não é só aqui no Brasil. A coordenadora contextua que a primeira indicação geográfica que se tem registro no mundo é a do vinho do Porto, em 1756. “Ela foi criada exatamente para valorizar esses produtos que têm características específicas por conta da origem em que eles estão que eles são desenvolvidos”.
Marcela ainda explica que para dizer hoje que o é vinho do Porto, ele somente pode ser produzido na região do Porto. “Se você for comprar garrafas que fazem este vinho em outro local, os produtores colocam vinho tipo do Porto. O mesmo acontece com a linguiça calabresa, o queijo provolone”.
No Brasil já existem registros de algumas indicações geográficas, como os vinhos da região do Vale dos Vinhedos, os espumantes de Farroupilha e o queijo da Canastra. “E quando a gente fez todo o estudo da gente geográfica da Niágara Rosada foi exatamente para isso. Para comprovar que temos uma fruta diferenciada e que é um grande atrativo para o mundo todo”, reflete a coordenadora.

Sobre a Festa da Uva
A primeira Festa da Uva de Jundiaí foi realizada em 1934 no Centro, utilizando-se das ruas no entorno odo antigo Mercado Municipal e do grupo escolar Conde do Parnaíba. Devido ao sucesso de público, que superou a casa dos 100 mil visitantes logo na primeira edição, pensou-se em construir um espaço especial para recebê-la.
Em 1953 foi inaugurado o Parque Municipal Antônio Carbonari (Parque da Uva), localizado no bairro do Anhangabaú, logo em uma das entradas principais do Município. Desde 2013, além de Festa da Uva, este tradicional evento do calendário municipal passou a ser comemorado junto com a Expo Vinhos.
Jundiaí ficou um período sem comemorar a Festa da Uva, entre os anos de 1938 e 1947, por conta da 2ª Guerra Mundial e em 2021 e 2022, devido às restrições da pandemia do COVID-19. Em 2023 retomou as atividades, desta vez, com 4 finais de semana repletos de atrações para toda a família.

Serviço Festa da Uva
Janeiro – 11, 12, 13 e 14 | 19, 20 e 21 | 26, 27 e 28 |
Fevereiro – 2, 3 e 4.
Local – Parque da Uva | Avenida Jundiai – s/n
Cidade – Jundiaí (SP)
Site – festadauva.jundiai.sp.gov.br

*Fonte: Diretoria de Turismo Jundiaí

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Facebook

Advertisement

Mais Lidas

Celebridades18 horas ago

Banda gaúcha atinge meio bilhão de streaming e famosos regravam a canção “Perigosa e Linda”

O reconhecimento do sucesso do grupo gaúcho despertou interesse em famosos, como o da cantora Roberta Miranda “Perigosa e Linda”....

Empreendedorismo21 horas ago

De advogada a Empresária de Sucesso: conheça Táta Coldibeli

Nascida em Fartura, São Paulo, Patricia Coldibeli, iniciou seu negócio de sucesso no meio da pandemia, e mudou sua vida...

Business23 horas ago

Após o carnaval, 8 a cada 10 brasileiros continuam endividados

60% possuem débitos com cartão de crédito em aberto e 43% buscam negociações com banco O começo do ano é...

Business3 dias ago

Brasil tem 4 em cada 10 Edtechs mais promissoras da América Latina, segundo HolonIQ

O reconhecimento selecionou 100 empresas na região e analisa o desenvolvimento e implementação de tecnologias educacionais Dados da premiação “The...

Geral3 dias ago

Perfumaria Francesa investe no público latino e conquista consumidores fiéis

À medida que nos aproximamos das Olimpíadas de Paris 2024, os olhos do mundo se voltam para a cidade que...

Celebridades4 dias ago

Com Endrick, Prova Bate e Volta e Pocah, Neosa ativa patrocínio do BBB 24

Lucas Henrique chamou a Neosa e se salvou das dores de cabeça do nono paredão  A Neosaldina, marca referência no...

Método i9 empreendedor por Camila Silveira6 dias ago

Camila Silveira, esclarece sobre os Avanços da Neuralink: Desafios Éticos e Promessas Tecnológicas em Foco

A recente divulgação dos avanços da Neuralink, empresa fundada pelo empresário Elon Musk, na criação de um chip cerebral implantável,...

Entretenimento7 dias ago

Sucesso na temporada 2023 o Cola Mais Podcast estreia em 2024

Idealizado e apresentado por Douglas Magoo, Cola Mais Podcast encerra temporada e traz novidades para 2024 Sucesso foi a palavra...

Famosos1 semana ago

Ativações, espaços instagramáveis e influenciadores engajam marcas e espaços vips no carnaval

Muito além do entretenimento e de forma criativa, grandes marcas fidelizam clientes e geram engajamentos nas redes Grandes camarotes do...

Negócios2 semanas ago

Brasil e Chile serão potências econômicas da América Latina em 2024, segundo estudo

De acordo com o Mastercard Economics Institute (MEI), os gastos reais dos consumidores registraram um aumento de 1,9% no ano...

Advertisement

Advertisement

Mais Lidas

Copyright © Meio e Markting - Todos os Direitos Reservados.