Connect with us

Business

Empresas ainda precisam se adaptar a lei de proteção de dados no Brasil

Published

on

Tema voltou ao debate após decisão do TSE para o adiamento da decisão sobre a aplicação da LGPD no registro de candidaturas

A Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), órgão responsável pela fiscalização da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), está recebendo contribuições da sociedade civil neste mês de agosto. O tema ganha notoriedade com a aproximação do período eleitoral, onde a proteção dos dados pessoais dos cidadãos brasileiros é um assunto que gera dúvidas e divide opiniões. Porém, a regra vai além e, neste cenário, as empresas precisam se adequar à nova legislação.

Um estudo recente do Núcleo de Informações e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) aponta que a maior parte das empresas brasileiras ainda não têm políticas de segurança. O levantamento mostra que apenas 41% dos empreendimentos investiram em segurança de dados. A LGPD, que completou quatro anos no último dia 14, é a legislação que regula o tratamento dos dados pessoais no país, que estabelece multas para o seu não cumprimento. A regra é um mecanismo que pode evitar a propagação de “fake news”, por exemplo. Porém, muitas empresas ainda têm dúvidas de como se regularizar, seguindo a legislação.

Segundo Gabriela Totti, advogada e consultora de privacidade e proteção de dados da Biolchi Empresarial, a proteção de dados ainda não faz parte da cultura empresarial brasileira. “A maioria das companhias continua não prevendo investimentos na estrutura de segurança das informações— com exceção das grandes corporações ou de setores com regulação mais rígida, como é o caso dos bancos e financeiras”, destaca.

Segundo a especialista, um dos maiores receios da atualidade está no investimento tecnológico. “É importante entender, antes de investirem tecnologia, quais são as informações que serão protegidas, de quem são as informações e como a empresa pode protegê-las”.

Em estudo divulgado pela empresa Tenable, foram 40,4 bilhões de vazamentos de dados no último ano, onde 815 milhões foram no Brasil. “Ainda precisamos avançar muito para ter, de fato, uma Lei que seja realmente efetiva para os desafios na proteção dos dados do Brasil”, completa a advogada.

Na última quinta-feira (11/08), também foi adiada a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o tema da LGPD nas Eleições de 2022. “Agora precisamos aguardar para verificar como será o posicionamento da corte, principalmente quando consideramos um processo eleitoral, a proteção de dados se faz necessária”.

A advogada também lembra que a Lei oferece segurança jurídica às empresas e corporações e, desta forma, a estruturação da proteção dos dados na empresa torna-se uma estratégia de proteção do próprio negócio. “As empresas ficam suscetíveis ao vazamento de informações variadas, então a adequação é uma forma, também, de proteger o patrimônio imaterial dos empresários: os dados”, explica Totti.

A advogada ainda completa, afirmando a importância da adequação em território nacional. “Mudar a cultura empresarial para garantir que a manutenção da segurança dos dados seja algo natural é um plano de longo prazo, mas necessário e possível. Por isso, quanto antes essa movimentação começar, independentemente do negócio ou porte da empresa, mais rápido alcançaremos uma maturidade em relação à proteção de dados no país. Sem essa virada de chave, todos perdem: empresários, gestores, colaboradores, fornecedores, clientes e a economia de um modo geral”, completa.

Sobre a Biolchi Empresarial:

Criada em 1980 pelo advogado e ex-deputado federal Osvaldo Biolchi (1934–2012), a Biolchi Empresarial é um dos primeiros escritórios do Brasil especializado em recuperações extrajudiciais, tendo investido em uma ferramenta on-line para desenvolvimento desses projetos, além de ser mantenedor do Obre (Observatório Brasileiro de Recuperação Extrajudicial). Atualmente, a empresa é comandada pela primogênita da família, a advogada Juliana Biolchi, e se destaca, também, pela atuação em ações voltadas para recuperação judicial, governança corporativa e tributária, bem como desenvolvimento de estratégias de compliance.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Business

Feira de Santana (BA) recebe o maior showroom de madeira plástica da América Latina

Published

on

By

A madeira ecológica ou plástica é um dos produtos que vem revolucionando o mercado de arquitetura, construção e de grandes projetos nos últimos anos, tanto pela praticidade de manutenção e do baixo custo de manutenção do produto quanto pela economia que os clientes encontram na hora da comparação de preços com a madeira tradicional.

A madeira nativa de boa qualidade, como por exemplo uma Cumaru, a cada dia encontra-se cada vez mais escassa no mercado e seu preço torna-se elevado, devido às fiscalizações, certificações e o tempo de reflorestamento da mesma, tornando-a cada vez mais rara.

Uma Cumaru de qualidade pode ter seu preço no mercado mais elevado do que uma madeira plástica ou WPC, além disso ela exige uma manutenção mais criteriosa de seis em seis meses, elevando os custos com o produto. Já com a madeira plástica além de ter um custo de manutenção quase zero, a madeira natural tem vida útil curta, aproximadamente de 3 anos a 5 anos, levando em consideração todas as medidas de proteção, já a ecológica oferece uma garantia de 10 anos e estimativa de vida que pode variar de 80 a 100 anos.

Com todos estes fatores em ascensão, empresa líder na comercialização deste produto no Brasil, a Star Deck Madeiras Plásticas chega a cidade de Feira de Santana, na Bahia, com uma das maiores lojas do país no segmento. Um showroom completo e com saída estratégica de material para todo o território nacional. O investimento na marca é garantido e os aportes serão consideráveis tanto para a matriz em São Bernardo do Campo – SP como para as filiais. É provisionada a abertura de mais seis lojas pelo país até 2025 e a contratação de mais colaboradores, inclusive para a matriz. “Toda a nossa central de atendimento on-line e externa estão localizadas na matriz, portanto investimentos em tecnologia, mão de obra especializada e técnicos de instalação estão em processo de seleção. Não abrimos mão de acompanhar todos os agendamentos e também o pós venda pessoalmente”, explica Eduardo Bovo, diretor de novos negócios da marca.

Outro ponto importante é a expansão do piso fabril da marca, na região sul do país, melhorando a logística e os planos estratégicos. “Nosso material é entregue em todo o território nacional, então otimizar custos logísticos e prazos de entrega, garantem uma rentabilidade e melhores condições de pagamento para os clientes”.

“A capacidade fabril foi afetada nos últimos anos devido a pandemia e a falta de insumos, porém conseguimos projetar nossa expansão da Madeira Ecológica. O crescimento através das lojas físicas e virtuais e com a normalização dos insumos, teremos um aumento de mais de 100% na fabricação e comercialização dos nossos produtos nos próximos 10 anos, assumindo boa parte do mercado de Madeira Nativa e outros materiais de construção”, explica Douglas Moraes diretor de marketing da marca.

Mas o mercado de madeira plástica, assim como todos os outros, conta sempre com o vilão chinês, produzindo material de qualidade inferior e que chega ao Brasil com um preço menor que o produto nacional. As desvantagens do produto oriental estão associadas a falta de garantia e controle de qualidade. Os produtos nacionais, não empenam na instalação, tem aditivos com controle de dilatação e contração, agentes contra raios U.V, não propaga chamas e são criteriosamente fiscalizados pelos órgãos públicos responsáveis. “Por este motivo conseguimos repassar dez anos de garantia em nossos produtos,” garante Douglas.

Os números são impressionantes, são mais de 6.000 mil projetos executados em todo o território nacional. Um dos maiores em andamento, está na Riviera de São Lourenço, litoral paulista, com uma obra de 3.000m² de deck de madeira plástica, com instalação e finalização conduzida por nossa equipe. Para conclusão deste projeto ainda foram utilizados 12.000ML de vigamento de parte estrutural, mais de 120.000 parafusos, além dos acabamentos para madeira plástica. O investimento inicial provisionado para as novas lojas e showroom no Grande ABC é de R$ 3,5 milhões de reais, seis novas lojas espalhadas estrategicamente pelo Brasil e a contratação de 100 novos colaboradores nas mais diversas áreas como comercial, recursos humanos, marketing e logística.

“Para os próximos anos, as madeiras serão substituídas completamente pela madeira plástica, preservando a reserva natural para as próximas gerações, garantindo assim uma qualidade de vida melhor para todos. Este é o nosso objetivo, empreender no Brasil e colaborar com as políticas de sustentabilidade no mercado da construção”, finaliza Eduardo.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Business

TIVIT expande a sua oferta no mercado de crédito com inclusão da IA generativa Athena em solução da Stone Age

Published

on

Tecnologia automatiza a avaliação de contratos sociais reduzindo em até 95% o tempo para tomada de decisão em transações com pessoas jurídicas

A Stone Age, vertical de soluções de crédito da TIVIT, especializada em automação de processos decisórios, por meio de plataformas de motor de crédito e antifraude, acaba de anunciar a incorporação da solução de inteligência artificial generativa Athena nas suas soluções. A nova funcionalidade será oferecida pelo Identify, seu produto para validação de identidade.

A iniciativa acentua uma movimentação da TIVIT na busca pelo protagonismo no segmento de crédito, e traz como um dos principais benefícios a possibilidade de reduzir em até 95% o tempo necessário para a tomada de decisão, As instituições financeiras utilizam essa solução em transações relacionadas com a concessão de crédito para empresas.

Lançada em dezembro do ano passado pela TIVIT, a Athena, solução de IA generativa, possibilita ao Identify realizar, entre outras coisas, a leitura inteligente dos dados de um contrato social em 30 segundos de forma automática. Além disso, extrair destes documentos informações estruturadas, as quais imediatamente se transformam em insights colaborativos para alimentar a esteira de dados que viabiliza uma tomada de decisão mais efetiva e rápida. Um exemplo disso, seria aprovar ou não um pedido de financiamento feito por empresas de todos os portes.

“Essa é uma lacuna considerável que identificamos no mercado de crédito. Há um consenso entre os bancos, fintechs e outras instituições que operam no setor, relacionado ao fato de que os processos analíticos envolvendo pessoas jurídicas costumam ter muitas ações manuais e menos automatizadas, o que torna a operação lenta e custosa”, afirma o diretor de Novos Negócios e Marketing da Stone Age, Ivan Souza.

Segundo ele, a adoção da Athena, confere à Identify novas funcionalidades que tornam a jornada de utilização da ferramenta muito mais completa. “Na prática, agora temos uma versão 2.0 que consegue avançar no sentido da eficiência operacional, com a redução da intervenção manual, aumento da assertividade nas decisões, além de atuar na diminuição de custos, com a viabilidade de trabalhar com equipes de atendimento e análise menores”, reforça.

Somada à análise de contratos sociais por meio de IA generativa, outra inovação acoplada à Identify é o chamado liveness passivo, mecanismo de mapeamento facial alimentado por Inteligência Artificial, que é capaz de determinar se a imagem de um rosto corresponde mesmo ao de uma pessoa real, se é apenas uma foto extraída de outra foto ou de alguém com uma máscara, por exemplo. Essa solução é considerada uma das mais avançadas ferramentas antifraude para validação de identidade, pois identifica com bastante precisão inclusive as chamadas deepfakes, um tipo de golpe cibernético que utiliza Inteligência Artificial para plotar uma face aleatória sobre a face verdadeira de alguém.

Para o diretor geral da Stone Age, Fernando Guimarães, a incorporação da Athena na Identify é uma representação prática e concreta das possibilidades oferecidas pelas sinergias existentes entre a TIVIT e a linha de negócios Stone Age. “Consideramos esse apenas o primeiro passo de uma estratégia de trabalho cada vez mais integrado, e que permitirá ganhos de escala e a conquista de espaços cada vez maiores em todos os segmentos em que atuamos”, conclui.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Business

Após o carnaval, 8 a cada 10 brasileiros continuam endividados

Published

on

By

60% possuem débitos com cartão de crédito em aberto e 43% buscam negociações com banco

O começo do ano é geralmente um período utilizado por muitos brasileiros para se reorganizar financeiramente, pelo menos é o que 12 milhões de brasileiros já fizeram no primeiro bimestre. Ao todo 17 milhões de dívidas foram “desnegativadas”, quitadas ou equacionadas e o total renegociado chega a R$ 35,6 bilhões, segundo dados obtidos através do programa Desenrola Brasil.

Mas para 44% dos brasileiros o ano começa depois do carnaval e os altos índices de endividados continuam em fevereiro. Segundo dados do Raio-X dos Brasileiros em Situação de Inadimplência, 8 em cada 10 brasileiros encerraram o ano de 2023 com dívidas e destes um terço continuam com contas atrasadas. Débitos com bancos (64%) e cartão de crédito (60%) são as fontes dos débitos em aberto, segundo base de dados do Instituto Locomotiva e da Serasa.

Em janeiro, 76% dos brasileiros procuraram alguma forma de crédito, sendo o serviço de cartão o mais buscado. Em relação à finalidade do crédito solicitado em empréstimos pessoais, 41% afirmou ser para investimentos, 21% para pagar contas básicas e 26% para pagar dívidas de contas básicas.

Segundo Fernando Lamounier, educador financeiro e sócio diretor da Multimarcas Consórcios, o cartão de crédito continua sendo um dos grandes dificultadores porque é visto como um valor adicional ao orçamento mensal. “Os brasileiros vêm utilizando a modalidade para compras do dia a dia e a capacidade de parcelamento levou-os a acreditar que ao dividir uma compra a dívida fica menor, quando na realidade, as pessoas estão apenas  antecipando as dívidas do próximo mês”, explica.

Em sequência, aparece o setor de água e luz (11,33%), comércio (11,20%) e outros com 7,16%. Sudeste, Nordeste e Norte lideram o ranking das regiões com mais débitos é o que mostra os dados apresentados pela  CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e o SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). Muitas famílias ainda são reféns da utilização de créditos para complementar o orçamento mensal e a utilização de diferentes solicitações podem levar a refinanciamentos.

“Para os brasileiros, a instabilidade econômica do país é o agente dificultador de um padrão de vida financeira saudável para o cidadão comum. A alta inadimplência deve-se à situação dos salários baixos e desemprego elevado”, explica o especialista.

A previsão é que para o mês de março aumente o número de brasileiros buscando negociações e acordos para sair da lista de inadimplência. Segundo a Serasa, todos os meses mais de 26 milhões de pessoas acessam o site e o aplicativo. A instituição afirma que com a nova parceria com o programa Desenrola do Governo Federal, o número deve aumentar e mais facilidades devem ser ofertadas.

Pensando nisso, o especialista separou 3 dicas para auxiliar quem está no vermelho:

Faça um levantamento dos gastos, anotando todas as futuras despesas. Análise as áreas em que é possível economizar, buscando alternativas mais econômicas e eficientes.

Utilize a regra 50, 30 e 20 para organização das finanças e priorize as despesas mais importantes, evitando o endividamento. A regra financeira é simples e divide o orçamento em três partes: 50% para gastos fixos e essenciais; 30% para gastos variáveis e que podem ser reduzidos se necessário; e 20% para investimentos ou criação de um fundo de reserva.

Evite dívidas desnecessárias para manter seu orçamento saudável é extremamente importante avaliar com atenção suas necessidades antes de efetuar compras parceladas ou solicitar empréstimos. Portanto, ao planejar suas finanças, lembre-se de considerar cuidadosamente se a compra é realmente necessária para atender às suas necessidades imediatas e se você terá capacidade de pagar as parcelas mensais ou as prestações dentro do prazo estabelecido.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Facebook

Advertisement

Mais Lidas

Business3 dias ago

Feira de Santana (BA) recebe o maior showroom de madeira plástica da América Latina

A madeira ecológica ou plástica é um dos produtos que vem revolucionando o mercado de arquitetura, construção e de grandes...

Famosos4 dias ago

Medalhista Olímpico, Flávio Canto, fecha parceria com escola em Brasília

A Escola Suíça de Brasília investe no ensino esportivo de seus alunos como base A Escola Suíça de Brasília (SIS...

Business5 dias ago

TIVIT expande a sua oferta no mercado de crédito com inclusão da IA generativa Athena em solução da Stone Age

Tecnologia automatiza a avaliação de contratos sociais reduzindo em até 95% o tempo para tomada de decisão em transações com...

Marketing5 dias ago

Penalty anuncia Damiano Sanna como seu novo gerente de marketing e relações esportivas

Profissional tem passagem por multinacionais e acumula mais de 20 anos de experiência na área A Penalty, tradicional marca brasileira...

Esporte5 dias ago

Projeto de revitalização transforma ginásio esportivo e impacta população de Santo André

Desenvolvida pela Recoma, em parceria com a Secretária de Esporte, iniciativa busca redesenhar espaços públicos e incentivar a prática ao...

Esporte1 semana ago

Penalty inova nas cores em linha de tênis infantis

A temporada de retorno às aulas já começou, e é essencial reconhecer o papel vital que bons materiais implicam na experiência...

Gestão1 semana ago

80% dos alunos que prestaram vestibular quer ingressar imediatamente, mas apenas 6 em cada 10 sabem onde querem estudar

Pesquisa realizada pela Somos Young reforça a urgência na reformulação do modelo acadêmico para receber alunos durante todo ano letivo....

Celebridades2 semanas ago

Banda gaúcha atinge meio bilhão de streaming e famosos regravam a canção “Perigosa e Linda”

O reconhecimento do sucesso do grupo gaúcho despertou interesse em famosos, como o da cantora Roberta Miranda “Perigosa e Linda”....

Empreendedorismo2 semanas ago

De advogada a Empresária de Sucesso: conheça Táta Coldibeli

Nascida em Fartura, São Paulo, Patricia Coldibeli, iniciou seu negócio de sucesso no meio da pandemia, e mudou sua vida...

Business2 semanas ago

Após o carnaval, 8 a cada 10 brasileiros continuam endividados

60% possuem débitos com cartão de crédito em aberto e 43% buscam negociações com banco O começo do ano é...

Advertisement

Advertisement

Mais Lidas

Copyright © Meio e Markting - Todos os Direitos Reservados.