Connect with us

Saúde

S.O.S Rufca contra impostos nos medicamentos Conheça o gestor público que está à frente do movimento.

Published

on

Campanha quer isenção total de impostos sobre Medicamentos

Consultas regulares, medicamentos de alto custo e orçamento familiar totalmente comprometido com a saúde. Essa foi a realidade de Rommel, 56 anos, durante o tratamento de um enfisema pulmonar, doença que se desenvolve nos tecidos do pulmão. “Em determinado momento, feitas e refeitas as contas, percebi que a cada três meses eu pagava praticamente R$ 2 mil só de impostos ao governo”, afirma Roberto Rufca, que ajudava o irmão nos gastos com broncodilatadores, corticoides e outros medicamentos durante o tratamento. O quadro clínico de Rommel se agravou e ele não resistiu, morrendo no início deste ano de 2021.

No Brasil, os impostos sobre medicamentos variam de 18% a 42%. Quem vive em países como Inglaterra, Canadá e Colômbia não se preocupa com isso: por lá, a tributação sobre os remédios simplesmente não existe. Diante do cenário brasileiro e do caso do irmão, Roberto Rufca criou uma campanha, levantou uma bandeira e chamou a sociedade para uma causa: exigir isenção total de impostos sobre remédios.

Sem a tributação, o risco de uma pessoa suspender o tratamento por falta de dinheiro vai diminuir e, assim, a saúde deixará de disputar o orçamento com outros gastos essenciais, como alimentação básica, por exemplo. “Um adesivo transdérmico usado no tratamento do Mal de Alzheimer custa mais de 700 reais. Para conter o avanço do Mal de Parkinson, existem remédios que chegam a custar 400 reais. No caso do câncer, um medicamento custa inimagináveis R $2 mil, praticamente dois salários mínimos. Quem pode pagar estes valores? ”. A tributação sobre os remédios cria duas perversidades: num primeiro plano, ela sobrecarrega o SUS, já que alguém que enfrenta um câncer e não tem dinheiro para comprar os medicamentos tende a ter complicações clínicas, podem precisar de internação, cirurgia, UTI. Na outra face dessa moeda, esse volume de impostos, que afasta o brasileiro comum de cuidados mais preventivos com a saúde, reforça a percepção de que cada um de nós paga muitos tributos sem ter a contrapartida esperada em relação à qualidade dos serviços públicos. “É um binômio que parece antagônico, mas, na verdade, as questões se complementam”, afirma Rufca. “Tudo isso já seria suficientemente complexo, mas precisamos lembrar que a economia brasileira não saiu do lugar na última década. Nosso PIB praticamente não oscilou nestes 10 anos. E o resultado dessa enfermidade econômica está aí: crise social, crescimento da insegurança alimentar – o nome bonito que os tecnocratas dão para a fome dentro de casa -, inflação em alta, seja dos alimentos, do preço do botijão de gás ou do valor dos combustíveis nas bombas dos postos. Além disso, 15 milhões de desempregados, 12 milhões de brasileiros que estão se virando sabe Deus como e uma infinidade de jovens nas grandes cidades que não trabalham e não estudam, os chamados Nem-Nem”, enumera. “Zerar os impostos sobre os remédios é ter sensibilidade para ampliar os horizontes e mudar a realidade, universalizando os acessos, marca das democracias europeias que têm vigor e que, por isso, dão respostas mais efetivas aos seus povos”, finaliza.

Quem está à frente dessa campanha

Roberto Rufca paulistano de 58 anos, formado em Marketing e a 36 anos atuou e colaborou na expansão do Metrô de São Paulo. Também carrega a especialização em gestão pública, atuando em áreas importantes da administração do Estado, como na chefia de gabinete da Secretaria de Estado de Logística e Transportes, além de aprimorar seus estudos na Escola de Governo – Formação de Governantes e ter cursado “Ética e Justiça: O que é o certo a fazer”, na Harvard University.

Descendente de avós árabes e italianos, Rufca é palmeirense desde os primeiros passos, quando morava no bairro do Sumaré, próximo ao antigo estádio Palestra Itália. Sonhava, ainda na infância, ser cantor; vivia nos estúdios e microfones da antiga Rádio e TV Tupi, onde seu pai trabalhou na década de 60.

A carreira de Rufca começou com uma experiência que tem se popularizado, mas era bastante escassa nos anos 70: jovem aprendiz na Light. Até hoje, ele guarda recordações positivas dessa experiência, passagem que o aproximou do poder público e da necessidade de ouvir melhor as pessoas, entender as expectativas delas e as necessidades mais imediatas que elas trazem e têm.

Rufca foi Superintendente de Projetos Especiais na Dersa, Secretaria da Cultura, Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano e Assessoria Especial na Presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo. “De modo geral, a gente sente que as pessoas têm uma expectativa de sentir um funcionamento mais célere e eficaz do Estado como instituição”, avalia sobre as experiências que traz em tamanha bagagem. “Precisamos pensar em políticas públicas que deem resultado e que tragam respostas para essa gente, sobretudo com a desburocratização e com iniciativas que ajudem a gerar emprego”, complementa.

Rufca trabalha na Cia do Metrô desde 1985: começou aos 22 anos nas atividades operacionais, passando por diversas áreas e funções. Hoje, atua na Diretoria de Assuntos Corporativos. “É muito gratificante olhar para trás e ver o quanto a expansão do Metrô transforma a vida das pessoas. Hoje, é possível sair do Capão Redondo, no extremo sul da cidade; ou de Itaquera, na zona leste, e chegar à Praça da Sé, à Estação São Bento ou à Avenida Paulista em cerca de 40 minutos. Isso faz muita diferença na qualidade de vida das pessoas”, enfatiza.

Participe desse movimento

S.O.S. RUFCA está em campanha para acabar com todos os impostos sobre medicamentos no Brasil. E para participar do abaixo assinado para pressionar o Congresso Nacional, o Governo Federal e os Governos Estaduais para acabar com essa INDECÊNCIA, de cobrança de Tributos em cima dos Medicamentos. Para assinar basta acessar o link a seguir https://chng.it/xmstzSmbM5

Para saber mais sobre Rufca seu manifesto basta acessar https://sosrufca.com.br/ e por suas redes sociais

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Saúde

Dislexia: distúrbio é o mais comum entre estudantes

Published

on

By

Transtorno atinge até 17% dos alunos no mundo; neuropediatra alerta para educação inclusiva nas escolas

O mês de novembro é marcado pelos dias da alfabetização e de atenção à dislexia – distúrbio caracterizado pela dificuldade de leitura e escrita. As datas alertam para a educação inclusiva nas escolas. No Brasil, o Instituto ABCD estima que aproximadamente 4% da população possui o distúrbio. Entre alunos do mundo todo, a dislexia é apontada como o transtorno com maior incidência, atingindo de 5 a 17%.

“A dislexia é classificada como um transtorno específico de aprendizagem (TEAp) que se manifesta por meio de um conjunto de sintomas, podendo envolver leitura lenta ou incorreta de palavras e dificuldades de soletração, por exemplo. É uma doença heterogênea, ou seja, com intensidades e necessidades variáveis de indivíduo para indivíduo”, explica o Prof. Dr. Vitor Haase, neuropediatra e pesquisador da healthtech Treinitec.

Segundo ele, o diagnóstico pode ser confirmado após os oito anos de idade, devido à maturação neurológica de áreas essenciais para aprendizagem. Contudo, os primeiros sinais podem ser observados antes mesmo do período de alfabetização. Dr. Haase afirma que educadores são fundamentais para auxiliar na identificação do transtorno e apoio a especialistas.

“O diagnóstico e tratamento da dislexia envolve uma equipe multidisciplinar de profissionais da saúde e educação, em parceria com escola e família. A identificação precoce permite que, além de terem conhecimento a respeito do que estão lidando, professores realizem intervenções em sala de aula e encaminhem estudantes para uma avaliação interdisciplinar”, diz.

Para incluir crianças com dislexia – e outros tipos de transtornos – a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (LBI) prevê que todos os matriculados em educação especial tenham direito ao Atendimento Educacional Especializado (AEE). No entanto, dados do Ministério da Educação (MEC), referentes a 2022, apontam que apenas 44% dos profissionais que atuam no AEE têm formação continuada para atender alunos neurodivergentes.

Dr. Haase destaca que o processo de aprendizagem para esse grupo demanda apoio especializado: “Professores capacitados e métodos adaptativos são fundamentais para superar tais desafios e proporcionar um ambiente inclusivo e estimulante. Os modelos educacionais existentes nem sempre dialogam com as necessidades de todos os alunos. Flexibilizar os currículos pode ser uma forma de reduzir as perdas na aprendizagem de crianças com dislexia”.

Outra aliada da educação inclusiva é a tecnologia, que pode ser usada em casos de alunos disléxicos. O neuropediatra destaca, entre os principais pontos positivos do uso da tecnologia, a possibilidade de personalização, acessibilidade e visualização de informações: “Recursos e materiais didáticos digitais, como o programa TREINI na Escola, visam fornecer subsídios a inclusão efetiva em escolas regulares por meio de plataformas e aplicativos para docentes, alunos e pais”.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Saúde

Médica apresenta tratamento exclusivo para gordura localizada durante evento em São Paulo

Published

on

Esta semana acontece em São Paulo o Endothreads Meet, evento idealizado pela médica Fernanda Sulzbach, para lançar um novo protocolo desenvolvido por ela, que promete resultados mais eficazes no tratamento estético.

Através da junção do Endolaser – tratamento a laser, já conhecido no combate à gordura localizada e flacidez –, com Fios de sustentação, Dra. Fernanda criou o Endothreads, que será apresentado para 200 médicos, com vagas esgotadas nos primeiros 30 minutos de seu anuncio.

O Endothreads funciona da seguinte forma: o Endolaser estimula a produção de colágeno, assim, melhora a qualidade da pele, assim, tornando-a mais receptiva à aplicação dos Fios de Sustentação. Dessa forma, os Fios proporcionam um efeito de lifting mais duradouro, auxiliando na manutenção dos resultados obtidos através do laser. A técnica é aplicada em regiões com gordura localizada como rosto, papada e abdômen.

Durante o evento, Dra. Fernanda Sulzbach compartilhará sua expertise em procedimentos com Fios, Endolaser e associações explorando as aplicações, cases de sucesso e inovações mais recentes na indústria, além de compartilhar dicas e insights valiosos que podem ser aplicados imediatamente na prática clínica.

Sobre a Dra Fernanda Sulzbach

Formada em medicina pela UFRGS, com especialização em Cirurgia Geral e Pós-Graduação em Medicina Estética, Fernanda Sulzbach inaugurou sua primeira clínica especializada em procedimentos estéticos no ano de 2008, em Santa Maria/RS.

Com um expertise de mais de 10 anos em Fios de Sustentação, Dra. Sulzbach é uma das principais referências na área da medicina estética. Graças às suas técnicas exclusivas e reconhecidas nacionalmente, passou, a partir de 2016 a realizar workshops direcionados a outros médicos, tornando-se uma referência no segmento, especializando mais de 300 médicos.

Especializações internacionais

Por dois anos consecutivos, Fernanda Sulzbach participou do IMCAS – Curso Internacional de Mestrado em Ciência do Envelhecimento –, um dos mais importantes congressos de Cirurgia Plástica e Dermatologia da atualidade. O evento, que acontece todo mês de janeiro em Paris, reúne profissionais de todo o mundo e, além do aprendizado, a médica pôde apresentar suas técnicas de fios de sustentação a outros colegas de profissão.

Em 2023, participou de um treinamento com técnicas de Blindagem na cidade de Seoul, com o médico sul coreano Dr. Kwon Han Jon, considerado por muitos o “papa” dos fios, graças ao seu pioneirismo nos tratamentos com fios PDO.

Serviço:

ENDOTHREADS MEET

Local: Derma Dream Brasil – São Paulo

Data: 08 a 12 de novembro/2023

Horário: 09 às 18h

Palestrantes:
Dra. Fernanda Sulzbach Cirurgiã Geral RQE 25887

Dr. João Phiton – Derma Dream -CRM 206270

Dra. Andrezza Hoffmann – Toskani Med – CRM 132110

Dr. Luan Zorzin – Toskani Med – CRM 1173731

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Saúde

Conhecimento e cuidado em saúde sexual entre profissionais do sexo é maior do que quem contrata o serviço, diz pesquisa

Published

on

By

Para a data, o Fatal Model – maior portal de acompanhantes do Brasil, realizou uma pesquisa com uma base de 17 mil respondentes

O Dia do Sexo é celebrado anualmente em 6 de setembro com o objetivo de levantar debates e afastar tabus sobre as relações sexuais da população, além de reforçar a importância da saúde sexual e o uso de preservativos. A data foi instituída em alusão à famosa posição sexual, em 2008, a partir de uma campanha publicitária de camisinhas.

Para a data, o Fatal Model – maior portal de acompanhantes do Brasil, realizou uma pesquisa com uma base de 17 mil respondentes. O levantamento apontou que o conhecimento e o cuidado em saúde sexual entre acompanhantes são expressivamente maior do que quem contrata o serviço. Dos 6.117 acompanhantes que participaram, 70% realizam o exame para detectar ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) uma vez a cada 6 meses, contra 8% que nunca fizeram.

Entre os contratantes a disparidade é maior. Dos 11.766 respondentes, 32% realizam semestralmente os exames para detectar ISTs, contra 22% que nunca fizeram. A pesquisa ainda esclarece que 91% dos acompanhantes sabem que os exames para detectar ISTs estão disponíveis gratuitamente no SUS, contra 77% dos contratantes. Quando o assunto é o uso de comprimidos preventivos antes e depois da relação sexual, a falta de conhecimento é evidenciada em ambos os grupos:

‘Falar sobre sexualidade e reprodução é uma questão de saúde pública. Vemos que ainda existe um tabu que rodeia a temática e afasta temas importantes, principalmente de jovens e adolescentes. Se prevenir e entender todos os tipos de metodologias, como o uso de preservativos, pílula, anticoncepcional, como a importância da camisinha no momento do ato e de medicamentos para a prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, é imprescindível para uma sociedade mais humanizada e consciente’, complementa Nina Sag, Acompanhante e Diretora de Comunicação do Fatal Model.

** Este texto não necessariamente reflete, a opinião deste portal de noticias

Continue Reading

Facebook

Advertisement

Mais Lidas

Business3 dias ago

Feira de Santana (BA) recebe o maior showroom de madeira plástica da América Latina

A madeira ecológica ou plástica é um dos produtos que vem revolucionando o mercado de arquitetura, construção e de grandes...

Famosos4 dias ago

Medalhista Olímpico, Flávio Canto, fecha parceria com escola em Brasília

A Escola Suíça de Brasília investe no ensino esportivo de seus alunos como base A Escola Suíça de Brasília (SIS...

Business5 dias ago

TIVIT expande a sua oferta no mercado de crédito com inclusão da IA generativa Athena em solução da Stone Age

Tecnologia automatiza a avaliação de contratos sociais reduzindo em até 95% o tempo para tomada de decisão em transações com...

Marketing5 dias ago

Penalty anuncia Damiano Sanna como seu novo gerente de marketing e relações esportivas

Profissional tem passagem por multinacionais e acumula mais de 20 anos de experiência na área A Penalty, tradicional marca brasileira...

Esporte5 dias ago

Projeto de revitalização transforma ginásio esportivo e impacta população de Santo André

Desenvolvida pela Recoma, em parceria com a Secretária de Esporte, iniciativa busca redesenhar espaços públicos e incentivar a prática ao...

Esporte1 semana ago

Penalty inova nas cores em linha de tênis infantis

A temporada de retorno às aulas já começou, e é essencial reconhecer o papel vital que bons materiais implicam na experiência...

Gestão1 semana ago

80% dos alunos que prestaram vestibular quer ingressar imediatamente, mas apenas 6 em cada 10 sabem onde querem estudar

Pesquisa realizada pela Somos Young reforça a urgência na reformulação do modelo acadêmico para receber alunos durante todo ano letivo....

Celebridades2 semanas ago

Banda gaúcha atinge meio bilhão de streaming e famosos regravam a canção “Perigosa e Linda”

O reconhecimento do sucesso do grupo gaúcho despertou interesse em famosos, como o da cantora Roberta Miranda “Perigosa e Linda”....

Empreendedorismo2 semanas ago

De advogada a Empresária de Sucesso: conheça Táta Coldibeli

Nascida em Fartura, São Paulo, Patricia Coldibeli, iniciou seu negócio de sucesso no meio da pandemia, e mudou sua vida...

Business2 semanas ago

Após o carnaval, 8 a cada 10 brasileiros continuam endividados

60% possuem débitos com cartão de crédito em aberto e 43% buscam negociações com banco O começo do ano é...

Advertisement

Advertisement

Mais Lidas

Copyright © Meio e Markting - Todos os Direitos Reservados.